Navegação e conteúdo

Escolher entre frete marítimo ou aéreo

Os nossos especialistas explicam as quatro perguntas principais para ajudar a comparar o frete aéreo com o frete marítimo


O ar é mais rápido e o mar é mais barato. Mas há mais a considerar ao selecionar o melhor modo de transporte para as suas mercadorias e comparar o frete aéreo com o frete marítimo. Para o ajudar a tomar decisões mais informadas, este artigo explora quatro perguntas principais: 

  • Pode justificar o prémio pela velocidade? 
  • Pode dispor de apenas um pouco mais de tempo? 
  • Tem certezas relativamente ao seu calendário de produção? 
  • Pode ser mais flexível quando necessário? 

Vamos descobrir as respostas em conjunto.

Pode justificar o prémio pela velocidade?

Há um prémio a pagar pelo transporte aéreo em vez do marítimo. O frete aéreo pode ser essencial se estiver a enviar produtos perecíveis com vida útil curta, artigos sensíveis à temperatura, como produtos farmacêuticos ou mercadorias de elevado valor que requerem um manuseamento cuidadoso.

O frete aéreo também é melhor se quiser reduzir os níveis de inventário nos casos em que o espaço de armazém é particularmente dispendioso. Os calendários de voos regulares permitem-lhe colocar produtos no seu armazém de acordo com as necessidades e na hora. Assim, o custo adicional do transporte aéreo é parcialmente compensado pela economia obtida na redução do stock.

Considere também a rapidez com que as suas mercadorias devem ser despachadas na chegada ao comparar o frete aéreo com o frete marítimo. Quando há necessidade de velocidade, isso ajuda a justificar o custo do transporte aéreo. É provável que os processos alfandegários demorem aproximadamente o mesmo tempo, independentemente de os itens chegarem a um aeroporto ou a um porto marítimo. Mas pode haver uma grande diferença no tempo que demora para descarregar as mercadorias. A carga aérea é geralmente descarregada e colocada no terminal numa questão de horas. A carga marítima pode demorar muito mais até que a equipa alfandegária possa começar a trabalhar.

Pode dispor de apenas um pouco mais de tempo?

Vale sempre a pena comparar os tempos de trânsito reais para o frete aéreo e o frete marítimo em cada rota específica. À medida que a frequência de navegação melhora e são tomadas medidas eficazes para lidar com o congestionamento, por exemplo, modernizações de portos e melhorias de canais, pode surpreender-se ao ver a rapidez com que as suas mercadorias podem ser deslocadas em certas rotas marítimas, especialmente em rotas intrarregionais. No nosso recente white paper Desbloqueie o valor da sua cadeia de abastecimento, descrevemos como uma empresa trocou do modo de transporte aéreo para o marítimo para distribuição de Hong Kong para a Coreia do Sul, alcançando uma melhoria de custos de 27% e uma redução de CO2 de 28%, ao mesmo tempo que aumentou o tempo de entrega numa média de apenas 6%.

A questão do transporte ecológico é, obviamente, cada vez mais importante, pois os clientes e outras partes interessadas examinam o impacto ambiental de cada empresa antes de tomar decisões de compra. A sustentabilidade e o lucro já não são considerados contraditórios, mas sim complementares. Em suma, pode valer a pena dispender um pouco de tempo adicional em trânsito para poupar muitas emissões e dinheiro.

Quando as suas mercadorias não enchem um contentor ou quando é essencial despachá-las antes de poder encher um contentor, considere usar um serviço LCL (contentor com carga de grupagem). Esta solução de frete marítimo pode ser mais rápida do que o serviço clássico de cargas por contentor completo (FCL), pois não precisa de esperar que um contentor inteiro seja preenchido. O facto surpreendente é que, em algumas rotas intrarregionais curtas, o serviço LCL pode não ser muito mais lento do que o transporte aéreo equivalente.

Tem certezas relativamente ao seu calendário de produção?

Conforme explicado num artigo anterior, as tarifas de frete estão constantemente a mudar, pelo que é importante compreender como as tarifas são calculadas.

O frete marítimo é geralmente a forma mais económica de transportar grandes quantidades de mercadorias, principalmente ao encher um contentor inteiro e, por conseguinte, beneficiar dos processos de envio uniformizados. Vale a pena lembrar que o frete marítimo funciona melhor quando tem absoluta certeza do seu calendário de produção, pois pode haver uma penalização de tempo significativa por falhar um determinado intervalo de tempo de envio. Por exemplo, se as suas mercadorias falharem uma travessia oceânica de 24 dias (porto a porto) de Houston a Bremen, o seu contentor pode ter de esperar uma semana inteira antes que outro navio zarpe, pelo que as suas mercadorias demorariam cinco semanas a chegar aos seus clientes alemães. Com o frete aéreo, a sua espera pelo próximo voo provavelmente não será superior a 24 horas.

Pode ser mais flexível quando necessário?

Várias tendências afetam o frente aéreo vs. o frete marítimo, pelo que as empresas têm de acompanhar estes desenvolvimentos e estar prontas para ajustar os planos de envio em conformidade.

Atualmente, a capacidade de carga aérea não está a acompanhar a procura crescente. Por causa disso, mais carga aérea está a ser transferida para voos de passageiros que oferecem menos capacidade de peso e espaço do que os aviões de carga. Além disso, muitas mercadorias, incluindo baterias de iões de lítio, gases, itens tóxicos, corrosivos ou inflamáveis ou que constituem um risco para a saúde pública, simplesmente não podem ser transportadas em voos de passageiros e estas restrições estão a tornar-se cada vez mais rigorosas e complexas.

Por outro lado, há menos transportadoras marítimas devido a fusões e falências de negócios, e isso significa menos opções para os expedidores. Por isso, faz sentido olhar para modos alternativos de transporte. Por exemplo, o frete ferroviário é uma alternativa válida da China para a Europa já hoje – este modo ecológico pode entregar mercadorias mais rapidamente do que por mar e com uma eficiência de custos superior à do frete aéreo.

As lições do passado revelam a importância de manter a flexibilidade. O encerramento do espaço aéreo durante a erupção vulcânica da Islândia em 2010 produziu algumas das tarifas de frete aéreo mais altas de todos os tempos. Uma conclusão chave foi a necessidade de garantir a resiliência da cadeia de abastecimento, identificando estratégias e rotas de transporte alternativas para evitar interrupções no negócio e danos à reputação. E a causa pode nem sempre ser um desastre natural. Atualmente, muitas empresas estão a mudar do transporte marítimo para o aéreo para obter uma entrega mais rápida nos EUA, com o objetivo de evitar potencialmente novos impostos maciços sobre os seus produtos.

 

Frete aéreo vs. frete marítimo: Vamos descobrir as respostas em conjunto

Não precisa de resolver estas questões sozinho. Se ainda não tem a certeza sobre o melhor modo de transporte para o seu envio, vamos resolver a questão em conjunto. Os nossos especialistas terão todo o gosto em analisar as suas necessidades e desenvolver a solução mais adequada e económica.

Tem um desafio específico de envio para o qual gostaria de ter a nossa ajuda?


Os nossos especialistas em envios estão prontos para ajudar