Portugal
#eCommerce
15 tendências de e-commerce para transformar o seu negócio
DHL Express
DHL Express
8 min de leitura
Partilhar em
facebook sharing button
linkedin sharing button
Smart Share Buttons Icon Partilhar

O comércio eletrónico muda a toda a hora. Para ajudá-lo a acompanhar as mudanças, escolhemos 15 das últimas tendências de comércio eletrónico, com insights, dados e algumas sugestões de próximos passos, para ajudá-lo a aproveitar ao máximo aquelas que são relevantes para o seu negócio. Mas primeiro, vamos contextualizar estas tendências, ao dar uma vista de olhos no cenário do comércio eletrónico.

O cenário atual do comércio eletrónico

A pandemia global acelerou a mudança do retalho físico para o e-commerce. De acordo com a Forbes1, em 2023, 20,8% das compras globais no retalho devem ocorrer online.

A concorrência dentro do setor de e-commerce nunca foi tão grande, por isso, para se manter à frente, os empresários precisam de estar atentos às últimas tendências do e-commerce e integrar aquelas que são relevantes para a sua estratégia de crescimento.  

 

1. AR e VR melhoram as compras on-line

Uma das maiores tendências emergentes no comércio eletrónico é o uso de Realidade Aumentada e Realidade Virtual para aprimorar a experiência de compra online.

AR integra o mundo físico real com imagens, sons gerados por computador ou ambos. VR coloca o utilizador num ambiente gerado por computador, mas aparentemente real, ao usar auscultadores VR.

AR e VR podem dar aos clientes uma ideia muito mais realista de como um produto realmente é – por exemplo, como uma peça de roupa fica ou como fica uma tonalidade de tinta na parede de uma sala. Se as tecnologias forem adotadas tão amplamente como alguns especialistas prevêem, os consumidores terão ainda menos motivos para visitar lojas físicas. 

Tessa Wuertz, diretora de marketing e parcerias da efelle.com, prevê que as pequenas e médias empresas usarão cada vez mais RA:

"Esperamos que muito mais empresas utilizem a RA para os seus produtos e negócios – tanto que se tornará mais padrão no comércio eletrónico e nas plataformas de rede social. Vemos isto ser usado em empresas maiores, mas acho que em breve começaremos a vê-lo a tornar-se mainstream para empresas de todos os tamanhos."2

Próximo passo

  • A integração de recursos de RA no site ou aplicação da sua marca dará aos seus clientes uma ideia melhor dos produtos que estão a comprar e, por sua vez, reduzirá a sua taxa de devolução.

 

2. A pesquisa por voz e a pesquisa visual vão aumentar

A pesquisa por voz é uma tendência de compras online em rápido crescimento. Quase metade (47%) dos compradores usaram a tecnologia de comando de voz para fazer uma compra online e 58% ficaram satisfeitos com a experiência3

Os proprietários de empresas de comércio eletrónico inteligentes irão precisar de otimizar as suas lojas de comércio eletrónico para pesquisa por voz no Google, usando palavras-chave e frases.

A pesquisa visual – que permite que os consumidores realizem pesquisas através imagens – é uma tendência de e-commerce menos desenvolvida, com apenas 8% das marcas a oferecer este tipo de pesquisa atualmente. No entanto, com 62% dos Millennials e da Geração Z com interesse em usar a pesquisa visual, é apenas uma questão de tempo até que ela se torne mainstream.

Próximos passos

  • Use uma estratégia semântica em vez de uma estratégia baseada em palavras-chave – o SEO semântico garante que a sua tecnologia de pesquisa por voz reconheça a maneira mais natural como os seus clientes pesquisam com a fala do que se estivessem a escrever.

 

data

3.A AI vai recolher ainda mais dados

Os clientes online passaram a esperar experiências online verdadeiramente personalizadas – e é aí que a nova geração de tecnologias alimentadas por IA é transformadora. Ela pode entender os dados comportamentais do cliente num nível mais profundo para ajudar as empresas a aumentar o interesse do cliente e as taxas de conversão.

Próximos passos

As oportunidades que a IA oferece às empresas de comércio eletrónico são infinitas, mas algumas das maneiras pelas quais ela pode melhorar as operações incluem:

  • Com base em dados anteriores do histórico de navegação, a IA pode ajudar as empresas a fornecer recomendações de produtos altamente personalizadas aos clientes
  • A IA pode melhorar o conteúdo escrito e visual – como descrições de produtos – para ser mais preciso e impactante
  • Os chatbots alimentados por IA podem seguir conversas anteriores de clientes para encontrar uma solução mais rápida

 

4. As compras online serão mais personalizadas – ou não

Os dados recolhidos pela IA permitem que as empresas ofereçam aos clientes experiências personalizadas ao comprar online – como recomendações personalizadas de produtos. Isto incentiva os compradores a concluírem a compra.

No entanto, os consumidores estão cada vez mais resistentes à partilha dos seus dados. Isto será especialmente verdade quando essa personalização se expandir para fora das plataformas de compras e começar a aparecer noutros lugares, noutros gadgets da casa, graças à Internet das Coisas.

Próximos passos

  • Use o histórico de compras anteriores dos seus clientes para enviar ofertas e descontos em produtos relacionados.
  • Certifique-se de sinalizar a sua política de privacidade de dados sempre que pedir informações aos clientes.

 

5. Devoluções continuam a ser um dilema

Pesquisas mostram que as devoluções gratuitas são um grande atrativo para os consumidores, mas cerca de 30% de todos os pedidos online são devolvidos, tornando-se um recurso caro para as empresas oferecerem.   

Uma das tendências emergentes do comércio eletrónico é que as empresas cobram uma taxa por devoluções – com gigantes do retalho como Zara e Uniqlo introduzindo a política no ano passado. Então, o que é que a sua empresa deve fazer?

Próximos passos

  • Pode oferecer devoluções gratuitas aos seus clientes por um período de teste para avaliar se o aumento das vendas reduz o custo para o seu negócio.
  • Prevenir é melhor do que remediar – procure reduzir a sua taxa de devoluções em primeiro lugar com estas dicas.

 

6. Os chatbots estarão em todo o lado

Os chatbots serão cada vez mais utilizados para suporte ao cliente no e-commerce, com expectativa de que o mercado global movimente US$ 3,99 biliões até 20304.

À medida que o mercado de e-commerce se torna cada vez mais competitivo, o atendimento eficiente de um chatbot pode ser a diferença entre um cliente frustrado sair da sua loja virtual para comprar noutro lugar e ficar para fazer uma compra.

Os chatbots mais sofisticados podem até usar os dados anteriores de um cliente para antecipar quais os produtos que irão atraí-lo ou sugerir um produto que complemente uma compra recente – impulsionando ainda mais as vendas.

Próximo passo

 

hand swiping on a mobile

7. M-commerce vai continuar a crescer

O comércio móvel, ou m-commerce, pode ser definido como a compra e venda de bens e serviços através dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Os clientes podem comprar a qualquer hora, em qualquer lugar, o que significa oportunidades lucrativas para o seu negócio.

De acordo com o Statista5, as vendas do comércio retalhista de smartphones devem superar US$ 400 biliões até 2024, quase o dobro do valor previsto para 2021.

Próximos passos

  • Certifique-se de que o seu site atual esteja otimizado para dispositivos móveis.
  • Melhor ainda, invista numa aplicação móvel dedicada para o seu negócio – as taxas de conversão através de aplicações móveis são 130% maiores em comparação com sites mobile-first.

 

8. As vendas sociais também estão a crescer

Com cada vez mais plataformas sociais a permitir que os consumidores comprem diretamente das empresas sem sair da aplicação, as vendas sociais devem triplicar para US$ 1,2 trilião até 2025, de acordo com um estudo da Accenture7.

Para pequenas empresas de comércio eletrónico, em particular, o comércio de rede social representa uma rota de vendas económica.

Próximos passos

  • Muitas pessoas usam as redes sociais para pesquisar marcas antes de comprar, portanto, certifique-se de que os seus feeds tenham muitas informações sobre produtos e fotos de alta definição. Certifique-se de responder às perguntas dos seguidores rapidamente.
  • Adicione recursos de compras na aplicação aos seus canais de rede social para facilitar a compra da sua marca pelos clientes.
  • Explore o marketing de influência, concentre-se na interação dos seguidores em vez de apenas no número de seguidores.

 

9. Mais opções de pagamento

As soluções de pagamento online estão em constante evolução, com os serviços "Compre Agora, Pague Mais Tarde" atualmente no centro das atenções. Elas permitem que os clientes online paguem as suas compras por fases, e são oferecidas por empresas como Klarna, PayPal e Afterpay. De acordo com a Mastercard, que recentemente lançou o Mastercard Installments, reduz as taxas de abandono de carrinho online em 35%8.

Próximos passos

  • Os compradores online têm 70% mais probabilidade de finalizar uma compra se o seu método de pagamento preferido for exibido como uma opção no checkout, portanto, ofereça muitas opções – estas são as que devem ser consideradas.
  • Se vende para clientes internacionais, certifique-se de pesquisar as preferências de pagamento locais. Os nossos Guias de País têm os insights que precisa.

 

10. Mais empresas migrarão para o comércio sem cabeça

Numa pesquisa recente da Salesforce9, 80% dos líderes empresariais disseram que planeiam mudar para o comércio sem cabeça. Então, o que é e porque é que é uma das tendências mais populares do e-commerce?

Simplificando, o comércio sem cabeça é uma solução de comércio eletrónico de próxima geração que desacopla os front-ends e traseiros de um site ou aplicação. Usa interfaces de programação de aplicações (APIs) para fornecer conteúdo a qualquer estrutura front-end.

Como resultado, os clientes poderão fazer compras online através de dispositivos de Internet das Coisas (IoT), como altifalantes inteligentes, dispositivos de fitness inteligentes ou até mesmo frigoríficos inteligentes – não apenas nos PCs, laptops e smartphones usuais. Ao reunir todas estas rotas de compras online, o comércio sem cabeça aumenta a flexibilidade e adiciona novas oportunidades de vendas. E como pode incorporar rapidamente novos canais de venda, também pode agilizar a venda omnichannel.

Todos estes benefícios tornarão o comércio sem cabeça uma das tendências mais preparadas para o futuro no comércio eletrónico.

Próximo passo

  • Para pequenas empresas, adicionar uma API à sua plataforma de comércio existente é um bom primeiro passo para o comércio sem cabeça. Com isto, eles podem personalizar o seu front-end para criar a aparência exata da sua marca.
man holding items smiling at camera

11. A importância contínua do marketing de vídeo

O vídeo pode dar aos clientes uma imagem muito melhor de um produto do que até mesmo a descrição mais detalhada, então não é de se admirar que seja uma tendência crescente nas compras online.

Pode usar o vídeo para mostrar o tamanho de um produto, como ele funciona e como ele parece. E quanto mais um cliente souber acerca de um produto antes de comprar, menor será a probabilidade de devolvê-lo – economizando dinheiro a longo prazo.

Próximo passo

  • Experimente vídeos nos seus canais de redes sociais – depoimentos de clientes e guias de "como fazer" são ótimos para interessar o seu público.

 

12. Inscrições

As assinaturas online atendem à necessidade de conveniência do cliente e receita regular e previsível para as empresas.

As assinaturas podem ser usadas para tudo, desde serviços de streaming, como a Netflix, até entregas regulares de alimentos e outros itens essenciais. O modelo também cresce em popularidade entre os millennials, então parece que veio para ficar. Na verdade, espera-se que valha US$ 2419,69 biliões até 2028.

Próximos passos

  • Os clientes adoram uma oferta – eles só irão entrar no seu serviço de assinatura se for mais barato do que comprar anualmente, então esteja preparado para oferecer descontos.
  • Crie uma sensação de comunidade ao dar mimos especiais aos membros – como um código de desconto no seu aniversário.

 

13. Sustentabilidade é essencial

Os consumidores ecoconscientes estão a optar por comprar de marcas sustentáveis. Além de minimizar as embalagens e usar materiais reciclados para os seus produtos sempre que possível, precisa de estar atento a quem escolhe como parceiro logístico.

Próximo passo

  • Fale com a DHL! O líder de logística estabeleceu a meta ambiciosa de zero emissões até 2050 – e atingiu muitas das suas metas no início do caminho. Descubra quais dos seus serviços GoGreen – do transporte marítimo neutro ao carbono – são ideais para o seu negócio, aqui.

 

14. Otimização para conversão

Num clima económico onde as pessoas gastam menos, é vital converter os visitantes da sua loja virtual em compradores. O uso de ferramentas de otimização da taxa de conversão (CRO) pode ajudá-lo a conseguir isso. Incluem ferramentas de análise de comportamento, ferramentas de análise da web e ferramentas de teste de CRO.

De acordo com a Verfacto10, o retorno médio sobre o investimento do uso de ferramentas de CRO é de mais de 223%. Usar a combinação certa ajudará a fornecer a melhor experiência de usuário e converter tráfego em vendas.

Próximo passo

  • Analise ferramentas de CRO como Hotjar e Glassbox para análise de dados qualitativos e Google Analytics ou Mixpanel para dados quantitativos.
two men shaking hands over a table

15. O crescimento contínuo do e-commerce B2B

Junto com o e-commerce B2C, o e-commerce B2B também foi impulsionado pelo COVID, já que as transações B2B tradicionais foram forçadas online. Além disso, a mudança é impulsionada por um aumento de Millennials em funções-chave de tomada de decisão B2B. Esta geração, que cresceu com a internet, prefere pesquisar produtos online a lidar com vendedores por telefone ou pessoalmente. Tudo considerado, o crescimento do B2B parece ser uma tendência de e-commerce que vai acelerar em vez de reverter.

Próximo passo

  • Faça o download do guia exclusivo do Discover para e-commerce B2B para maximizar todas as oportunidades que este setor emergente tem a oferecer.

 

Decidir que tendências de e-commerce seguir

É claro que nem todas as tendências discutidas acima serão relevantes para o seu negócio, mas existem alguns bons indicadores que pode seguir. Para começar, fique de olho no que é falado no seu setor. Se um bloguer respeitado da indústria escreveu sobre uma das tendências, provavelmente vale a pena olhar mais para ela. Da mesma forma, certifique-se de estar atualizado com as pesquisas mais recentes e relatórios de tendências do setor.

Outro bom indicador são os seus próprios clientes. Use análises para acompanhar o seu comportamento e obter insights. Ao usar os dados, pode muito bem ser capaz de decidir se uma determinada tendência de compras online funcionará com os seus clientes. E, claro, pode pedir feedback diretamente a eles – são sempre uma boa fonte de insights.

Para finalizar, olhe para os seus concorrentes. O que é que eles fazem e funciona? Em seguida, tire as suas próprias conclusões.